Lula vai se dedicar às eleições no Congresso, diz Múcio

O ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, informou nesta terça, depois da reunião de Coordenação Política no Palácio do Planalto, que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai dedicar esta e a próxima semana a discutir a eleição das presidências da Câmara e do Senado. O primeiro contato do presidente, no entanto, será com o senador José Sarney (PMDB-AP), para ouvir dele a disposição de se candidatar ou não à presidência do Senado.

Agência Estado |

Esse encontro acontecerá tão logo o ex-presidente se recupere da gripe. Depois, Lula se reunirá então com as lideranças do PMDB para discutir os próximos passos.

Segundo o ministro, o melhor era que as coisas fossem definidas como estavam, com o senador Tião Viana (PT-AC) para o Senado e o deputado Michel Temer (PMDB-SP) para a Câmara.

"O quadro ideal foi o combinado, que era Tião e Temer. Qualquer movimento mexe no equilíbrio de forças e, para que ninguém se sinta traído, temos que conversar", disse. "Ainda continuamos com Tião Viana e Temer, mas primeiro vamos ouvir o Sarney. Se ele disser que é candidato, daí haverá uma conversa maior com o partido para ver como organizar isso. O próprio presidente vai ser um condutor nesse processo", declarou o ministro, ressalvando, entretanto, que não se trata de uma interferência na Câmara ou no Senado, mas sim de encontrar um caminho para que os dois maiores partidos (PT e PMDB) se entendam.

"O governo quer ser parceiro do resultado", disse. "Não é uma situação cômoda defender as duas Casas para o PMDB, mas isso já aconteceu e, por isso, é preciso que seja bem costurado", afirmou Múcio. Segundo ele, o governo não é "refém" do PMDB. "O PMDB é parceiro nesse País que estamos construindo."

Sobre a possibilidade de a eleição do Senado contaminar a da Câmara, o ministro admite que isso pode acontecer, mas avisou que são Casas separadas. "Vamos trabalhar para não contaminar. Tudo isso precisa ser muito bem costurado para não ter situação de estranheza", afirmou. "Não vai ter crise. Somos parceiros tanto do PT quanto do PMDB." Múcio informou ainda que o presidente Lula vai conversar com o presidente do PT, Ricardo Berzoini, sobre a situação.

    Leia tudo sobre: congresso

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG