RIO DE JANEIRO - O governo federal vai liberar o uso do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para quem sofreu prejuízos materiais com a chuva dos últimos dias no municípios de Angra dos Reis e na Baixada Fluminense, no Rio. A questão foi tratada nesta segunda-feira (4), por telefone, entre o governador Sérgio Cabral e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas ainda não há um valor definido para as medidas de socorro.

Lula e Cabral conversaram também sobre outras medidas emergenciais a ser tomadas pelo governo estadual e federal em relação à tragédia ocorrida em Angra dos Reis e em cidades da Baixada Fluminense. A tragédia já resultou em 72 mortes no Estado, sendo 29 na Enseada do Bananal, na Ilha Grande, 21 no Morro da Carioca e 22 vítimas nas cidades do Rio de Janeiro e da Baixada Fluminense.

A liberação do FGTS será nos mesmos moldes do que foi feito em Santa Catarina, por ocasião das enchentes no Estado.

O presidente Lula se comprometeu também a editar uma Medida Provisória (MP) para liberar recursos federais em caráter emergencial, suficientes para resolver as causas de enchentes e alagamentos nas cidades da Baixada Fluminense.

Os recursos devem ser aplicados em dragagem de rios, construção de casas para reassentamentos, retirada de população de áreas de risco, drenagem e reflorestamento.

Para a cidade de Angra dos Reis, serão liberados recursos para a construção de moradias para as pessoas que vivem em áreas de risco, com a implementação de reflorestamento e contenção de encostas que apresentem possibilidade de desmoronamento.

O governador e a sua equipe vão se reunir com Lula no dia 13 para apresentar os detalhes da proposta para a edição da MP, quando será discutido o valor a ser liberado para as vítimas da tragédia.

Leia mais sobre: chuvas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.