SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lamentou nesta segunda-feira o desaparecimento do voo da Air France com 228 pessoas a bordo e disse torcer para que não tenha acontecido o pior. Nessas horas não existe outra coisa a não ser lamentar profundamente e desejar para as familias muita força. Porque nessa hora não existe palavra, disse Lula a jornalistas em El Salvador, onde compareceu para a posse do presidente Mauricio Funes.

Lula conversou pelo telefone com o presidente francês Nicolas Sarkozy e relatou que, mesmo sem informações sobre o destino do avião, "no fundo no fundo, foi uma troca de condolências".

Ele disse que trabalha com a expectativa de que haja sobreviventes e relatou que tem sido informado sobre as buscas de forma constante por meio do brigadeiro Juniti Saito, comandante da Aeronáutica.

Admitiu, no entanto, que as autoridades ainda não têm informações sobre o destino do Airbus A330 que fazia a rota Rio de Janeiro-Paris, enquanto aeronaves e embarcações brasileiras foram enviados para as buscas.

"Nós só temos que lamentar, ou seja, eu, como cristão, fico sempre na torcida de que não tenha acontecido o pior, de qualquer forma", disse Lula.

Sobre os brasileiros a bordo, disse que os números variam entre 51 e 58 passageiros.

Lula pediu a Saito e ao presidente em exercício José Alencar que se deslocassem para o aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, de onde partiu o voo AF 447, para acompanhar de perto os desdobramentos do acidente.

O presidente cancelou um almoço de trabalho em El Salvador para acompanhar a situação, mas mantém a programação na América Central que prevê visita à Guatemala e à Costa Rica.

(Reportagem de Carmen Munari e Natuza Nery)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.