Lula tira Executivo de debate sobre Lei da Anistia--Tarso Genro

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu na segunda-feira que o Executivo não discutirá a interpretação ou a revisão da Lei de Anistia. Para o governo, o debate deve ser conduzido pelo Judiciário. A informação foi dada pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, em entrevista concedida a jornalistas no Palácio do Planalto depois da reunião da coordenação política do governo.

Reuters |

Na semana passada, Genro se envolveu em polêmica depois de afirmar que a tortura não deve ser considerada um crime político e excluída da Lei de Anistia. Em resposta, militares da reserva, com a presença de alguns integrantes da ativa, realizaram ato público para repudiar a iniciativa.

'Ninguém, em nenhum momento, pediu a revisão da Lei de Anistia. Para mim, este assunto está encerrado. Não há nenhum embaraço do governo em relação às Forças Armadas', declarou o ministro.

Genro negou também que tenha levado uma bronca do presidente Lula por ter levantado o debate sobre o tema.

'O presidente pode dar puxão de orelha em qualquer ministro. Isso é de sua competência. Mas eu não levei puxão de orelha', afirmou.

O ministro da Justiça disse, porém, que o Executivo continuará a julgar os processos de anistia e a trabalhar na 'memória' dessa parte da história nacional.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG