Lula tem semana voltada a líderes latinos

SÃO PAULO (Reuters) - Em meio à crise política na Bolívia, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa nesta segunda-feira de reunião de emergência dos países da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) convocada para reforçar apoio ao presidente boliviano Evo Morales. O encontro, que está agendado para esta tarde em Santiago, no Chile, acontece após os violentos protestos da oposição boliviana, que já deixaram cerca de 30 mortos.

Reuters |

Ainda esta semana, Lula recebe em Brasília o recém-empossado presidente do Paraguai, Fernando Lugo. Como candidato, Lugo defendeu a revisão nos preços pagos pelo Brasil aos paraguaios pela energia fornecida pela usina hidrelétrica de Itaipu. Como presidente, deve buscar investimentos a seu país.

Há uma previsão também de que Lula encontre com o presidente peruano Alan García, que virá ao Brasil acompanhado de governadores de províncias, empresários e ministros para um seminário na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Em Brasília, o Congresso estará em recesso branco para votações em plenário, mas a CPI dos Grampos Telefônicos agendou o depoimento do ministro da Defesa, Nelson Jobim.

Veja, a seguir, os principais eventos da próxima semana.

SEGUNDA-FEIRA

-- Reunião dos países que compõem a União das Nações Sul-Americanas (Unasul) em Santiago, no Chile, tem como tema a tensão na Bolívia. Lula cancelou sua presença em inaugurações na Volkswagen, em Resende (RJ), e na Klabin, na cidade Telêmaco Borba (PR).

-- Começa no Riocentro, no Rio de Janeiro, a 14a edição da Rio Oil & Gas Conference, evento que se realiza a cada dois anos e é considerado o maior do setor na América Latina. Até quinta-feira, são esperados quatro mil congressistas, 1,2 mil expositores e 40 mil visitantes.

-- Tem início em Montevidéu, Uruguai, a 13a Sessão Ordinária do Parlamento do Mercosul. O presidente da representação brasileira, senador Aloizio Mercadante (PT-SP), deve apresentar proposta de declaração em defesa da manutenção da democracia na Bolívia.

TERÇA-FEIRA

-- Em Brasília, o presidente Lula recebe o primeiro-ministro da Noruega, Jens Stoltenberg. À tarde, participará de reunião de coordenação política no Palácio do Planalto. O primeiro-ministro deve anunciar ajuda financeira para o Fundo Internacional da Amazônia.

QUARTA-FEIRA

-- O ministro da Defesa, Nelson Jobim, depõe na CPI dos Grampos sobre equipamento de escutas que a Agência Brasileira de Inteligência teria comprado.

-- O presidente Lula recebe o presidente do Paraguai, Fernando Lugo. Depois, participa de solenidade de sanção da lei do turismo, que prevê a criação de um sistema de informações turísticas para monitorar seus impactos sociais, econômicos e ambientais.

QUINTA-FEIRA

-- O presidente Lula irá ao lançamento da plataforma de petróleo P-53 no Rio Grande do Sul, no porto da cidade de Rio Grande.

-- No mesmo dia, Lula deve encontrar-se com o presidente peruano, Alan García, em seminário para empresários na sede da Fiesp, em São Paulo.

SEXTA-FEIRA

-- O presidente Lula participará da inauguração do novo campus da Universidade Federal Rural do Semi-Árido na cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte. No mesmo dia, em Natal, ele assinará protocolo para implantação de refinaria em Guanaré.

(Reportagem de Carmen Munari; Edição de Eduardo Simões)

    Leia tudo sobre: lula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG