RIO DE JANEIRO - O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, disse neste sábado que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda tem esperança de que o Congresso Nacional reveja a emenda do deputado Ibsen Pinheiro (PMDB/RS), que prevê a distribuição dos royalties do petróleo entre todos os estados e municípios brasileiros e não apenas entre os produtores.


Para Cabral, caso a proposta de Ibsen não seja revertida pelos parlamentares, Lula vetará a emenda. No último dia 18, em viagem à Jordânia, Lula disse que a distribuição dos royalties era um problema do Congresso.

O que o presidente Lula está dizendo é o seguinte: ele espera que o Congresso mexa. Ele é um democrata. Agora, é evidente, se chegasse àquela barbaridade [a divisão proposta pela Emenda Ibsen], ele vetaria. Ele tem esperança, e eu também, de que, até lá, o Congresso Nacional possa rever essa emenda aprovada em um primeiro momento na Câmara, disse Cabral.

Cabral qualificou de insensatez a emenda de Ibsen Pinheiro, por mexer mexer em um direito adquirido do estado. Ele voltou a afirmar que concorda apenas com a discussão sobre a possibilidade de abrir mão de parte dos royalties do pré-sal ainda não licitado. Mesmo assim, ele diz que os estados e municípios produtores precisam de um tratamento diferenciado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.