Lula sinaliza veto ao reajuste dos aposentados

Presidente diz que, no atual momento econômico favorável que o Brasil vive, não se pode fazer ¿qualquer espécie de loucura"

iG São Paulo |

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sinalizou nesta quarta-feira que irá vetar o aumento de 7,7% aos aposentados que ganham acima do salário mínimo, caso a proposta seja aceita também pelo Senado. Na terça-feira, o governo sofreu uma derrota na Câmara dos Deputados onde foi aprovado o reajuste de 7,7% e o fim do fator previdenciário. O Planalto defendia o aumento máximo de 7%.

"Só é possível melhorar a vida do povo se tiver compatibilidade entre a necessidade do reajuste e a receita que nós temos”, afirmou o presidente. “A hora é de aguardar o Congresso cumprir sua parte”, afirmou.

Oportunismo político

O presidente afirmou que, no atual momento econômico favorável que o Brasil vive, não se pode fazer “qualquer espécie de loucura em qualquer área” que possa atrapalhar o desenvolvimento do país. “Não podemos permitir que qualquer coisa, seja a previdência, seja a política de juros, a inflação, venha causar qualquer impossibilidade de o Brasil continuar nesse momento excepcional que está vivendo”, disse o presidente.

Lula negou, no entanto, estar se referindo a decisão dos deputados ao usar a palavra loucura. “É o percentual que a Câmara entendeu que era o corrento, então, não posso considerar loucura. Posso entender que os deputados tem tanta vontade de acertar, de fazer as coisas boas para o país como eu. É uma questão de visão econômica que vamos ou consertar ou manter do jeito que está depois que for aprovado no Senado”, finalizou.

O impacto com as medidas acarretará custo adicional de R$ 30 bilhões aos cofres públicos, o que o ministro do Planejamento, Paulo Bernado, destacou nesta quarta-feira que é insustentável para as contas da Previdência Social.

Questionado se a aprovação do índice maior poderia ser considerada oportunismo político em função do ano eleitoral, Lula respondeu que, nesse período, o "apreço" pelos aposentados aumenta de forma “extraordinária”. “Todo mundo tem apreço pelos aposentados e no ano eleitoral aumenta o apreço de forma extraordinária. Não acredito que tenha dentro do território brasileiro alguém que tenha mais compromisso com os trabalhadores brasileiros do que eu”, disse.

Reajuste no Senado é unanimidade

Segundo apurou a reportagem do iG, o reajuste de 7,7% para as aposentadorias acima do salário mínimo deve ser aprovado sem dificuldades no Senado . Senadores da base governista e da oposição disseram que há um consenso na Casa para a aprovação do novo percentual.

Para o senador Paulo Paim (PT-RS), que defende o reajuste de 7,7%, não será preciso nem mesmo votação nominal para a aprovação do reajuste no Senado. “Vai passar rápido, acho que até numa votação simbólica”.

(*com informações da Agência Brasil)

    Leia tudo sobre: reajuste dos aposentadosLula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG