Lula reage a críticas de estrangeiros sobre a Amazônia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou de lado a diplomacia e rebateu de forma dura as críticas de ativistas de entidades internacionais à política ambiental do governo. Em entrevista durante o Fórum Social Mundial, em Belém, ele defendeu a indústria madeireira e disse que os estrangeiros dão palpites sem conhecer os problemas da Amazônia.

Agência Estado |

"As pessoas que vêm visitar o Brasil têm de saber o seguinte: tomem conta do que é seu que o Brasil toma conta do que é dele", afirmou.

No mesmo dia em que jornais europeus divulgaram estudo das Nações Unidas mostrando que 17% da floresta amazônica foi destruída de 2000 a 2005, Lula disse que os 25 milhões de habitantes da Amazônia não querem um santuário. "Eles querem trabalhar e ter acesso a bens materiais e, portanto, não querem que a Amazônia seja um santuário da humanidade", disse. "Muita gente que fala da Amazônia esquece que a Amazônia é do Brasil, e que o Brasil é que tem direito sobre ela."

Lula disse que as madeireiras podem trabalhar de forma sustentável. "Nós achamos que aqui podemos desenvolver projetos de indústria madeireira, com manejo correto da floresta", afirmou. "Seria humanamente impossível que num fórum dessa magnitude alguém não criticasse o Brasil e o meu governo."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG