O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que o delegado Protógenes Queiroz, afastado da Operação Satiagraha, só não volta ao caso se explicar publicamente e de livre e espontânea vontade que não deseja continuar o trabalho de investigação. A única coisa que nós queremos, neste caso, é responsabilidade.

Ninguém pode fazer o trabalho que ele fez durante quatro anos e, na hora de timbrar o relatório, dizer que vai embora", afirmou o presidente, em entrevista. "Não é correto nem para um presidente da República nem para um delegado da Polícia Federal (PF) vender insinuações para a sociedade."

Segundo Lula, a reunião na PF em que Protógenes teria pedido o afastamento, na segunda-feira à noite, em São Paulo, foi gravada por consenso de todos, e o delegado teria dito que precisava sair e que só poderia continuar o trabalho se fosse nos finais de semana. O presidente afirmou que a PF divulgará ainda hoje nota esclarecendo como foi a reunião. "Esse é um processo sério, que envolveu gente e as pessoas foram para a televisão. Então, é preciso que essas pessoas tenham um relatório definido para que se peça ou não o seu indiciamento", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.