Lula promete novo PAC a sucessor

RECIFE - A passagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva por Pernambuco foi marcada por discursos políticos que compararam as práticas da ¿elite política¿ do passado com a sua administração. Um espaço importante para essa promoção das mudanças, segundo Lula, foi a criação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) - carro-chefe da gestão -, que teve a sua continuidade defendida após o término do seu mandato.

Agência Nordeste |

Em evento em Olinda, nesta terça-feira, onde entregou casas populares nas comunidades do V8 e V9, o presidente anunciou que pretende criar um novo PAC para o seu sucessor. Entre 2009 e 2010 vamos inaugurar grande parte das obras do PAC. São R$ 504 bilhões investidos em todos os Estados. A partir daí vamos construir um novo PAC, um novo compromisso para que, quem entrar no Governo, não tenha que perder tempo e já tenha as definições das obras prioritárias para este País, disse o petista.

Num tom incisivo, Lula também defendeu a necessidade de o povo continuar a renovar os quadros políticos do País, como vem acontecendo nas últimas eleições. É preciso a gente banir da vida política do País aqueles que nunca olharam para os pobres, aqueles que fazem discurso para os pobres e governam para os ricos, enfatizou o presidente. Sobre a crise financeira internacional, Lula garantiu que não há riscos de que o PAC seja prejudicado e tenha seus recursos minimizados.

Nós ainda temos dois anos para fazer muito mais, porque aprendemos a fazer e nós temos dinheiro para fazer. O que nós estamos fazendo com o PAC é apenas uma demonstração daquilo que pode acontecer no Brasil. Ou seja, houve um tempo em que o Brasil era governado para 35% da população, e 65% que ficassem na marginalidade. O que nós estamos fazendo é não esquecer os 35% que vivem melhor, mas priorizar os 65% mais pobres, discursou.

No bairro de Santo Amaro, no Recife, onde lançou o programa Território de Paz, do Pronasci, o presidente Lula desafiou o povo a tomar conhecimento das ações prometidas pelos governos Federal, Estadual e Municipal, e disse que voltará ao local daqui a dois anos para conferir o que foi feito. Segundo ele, o que acontecia no passado não irá se repetir, numa referência às forças adversárias.

Antes de terminar o meu mandato, nós estaremos aqui para ver como é que está esse programa do Pronasci. Porque, daqui a dois anos, eu vou vir aqui e quero que vocês me digam se nós fizemos o que está escrito aqui (no livrinho de propaganda das ações), ou se nós, mais uma vez, fizemos como a classe política fez historicamente, prometendo e não cumprindo, mentindo na época das eleições, beijando todo mundo, e depois das eleições tchau tchau, e nunca mais volta, a não ser nas próximas eleições, disparou.

Com informações do jornal "Folha de Pernambuco".

Leia mais sobre: PAC

    Leia tudo sobre: pac

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG