Lula: Pré-sal é ponte entre riqueza natural e fim da pobreza

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O petróleo a ser produzido no pré-sal será uma ponte direta entre riqueza natural e erradicação da pobreza, disse o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em pronunciamento de rádio e TV para comemorar o dia da Independência, neste domingo. O presidente focou o pronunciamento nas perspectivas que a descoberta da camada pré-sal abre para o país, destacou o papel da Petrobras na exploração das jazidas e prometeu responsabilidade, assinalando que não vamos nos deslumbrar e sair por aí gastando o que ainda não temos ou torrando dinheiro em bobagens.

Reuters |

Lula enfatizou o principal destino que pretende dar às futuras riquezas do pré-sal para resgatar dívidas sociais do país.

'Os recursos das jazidas do pré-sal serão canalizados, prioritariamente, para a educação e a erradicação da pobreza.

Vamos aproveitar esta grande quantidade de recursos para pagar a imensa dívida que o nosso país tem com a educação', afirmou.

As potencialidades do pré-sal foram apresentadas por Lula como um 'passaporte para o futuro', que o presidente disse ter vislumbrado na costa do Espírito Santo, quando viu e tocou o petróleo que começou a ser produzido.

Na última terça-feira, Lula esteve no campo de Jubarte, próximo ao litoral do Espírito Santo, de onde foi extraído o primeiro óleo da camada pré-sal, em águas rasas.

Didático em sua fala, Lula lembrou que a comissão interministerial encarregada de estudar a melhor forma de exploração do pré-sal entregará suas sugestões 'dentro de algumas semanas' e listou as diretrizes que encaminhou: agregar valor ao óleo cru para exportar derivados, fomentando ao mesmo tempo 'uma poderosa e sofisticada' indústria petrolífera, consolidando a indústria naval e desenvolvendo a petroquímica.

'Vamos encomendar -- e produzir aqui dentro -- milhares e milhares de equipamentos, gerando emprego, salário e renda para milhões de brasileiros. Só nos próximos anos serão construídos no Brasil cinco novas refinarias, dezenas de sondas e plataformas e centenas de navios', anunciou.

A segunda diretriz é a que garante que a principal destinação dos recursos será para a educação e combate à pobreza. 'Vamos investir esses recursos naquilo que temos de mais precioso e promissor: nossos filhos e nossos netos'.

A Petrobras, cujo papel na exploração do pré-sal chegou a ser posto em dúvida pelo novo modelo em debate, foi destacada pelo presidente, que a citou três vezes.

Na primeira referência, Lula a chamou de 'nossa querida Petrobras'; depois a qualificou de 'maior símbolo da criatividade e competência dos brasileiros' ao falar do desafio tecnológico que terá na exploração das jazidas, e por fim garantiu o crescimento da empresa no boom que espera vir com o pré-sal: 'Vamos reforçar a nossa Petrobras'.

Lula encerrou o pronunciamento conclamando a sociedade a participar do debate sobre o pré-sal, que classificou de 'decisivo para o futuro', e disse que a descoberta da nova riqueza chegou quando 'o país vive o melhor momento econômico e social de sua história...com distribuição de renda e inclusão social'.

(Texto de Mair Pena Neto; Edição de Taís Fuoco)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG