O presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou hoje que o governo terá de encontrar outras fontes de recursos para fazer a revolução na saúde, se referindo ao fim da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), no final de 2007. Vamos ter que encontrar outro dinheiro para fazer o PAC (Programa Aceleração do Crescimento) da Saúde, disse.

O presidente fez a declaração ao participar da cerimônia de entrega da medalha do Mérito Oswaldo Cruz ao presidente do Conselho de Administração do Grupo Votorantim, Antonio Ermírio de Moraes, e ao médico cardiologista e pesquisador Roberto Kalil Filho, no teatro da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

Durante a cerimônia, Lula afirmou que "um cidadão normal não vence na vida. Todas as pessoas que se sobressaem têm uma anormalidade", trabalham demais. O presidente se dirigiu ao médico Kalil Filho e contou: "Não estava presente no nascimento dos meus filhos". De acordo com o presidente, a medalha concedida é "uma forma de semear exemplos". "Uma nação, ela é construída de exemplos, ela não é construída de discursos", ressaltou.

Ao evento, além de Lula, compareceram os ministros da Saúde, José Gomes Temporão, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Miguel Jorge, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB) e o prefeito da capital, Gilberto Kassab (DEM). O empresário homenageado, Antonio Ermírio de Moraes, foi representado por seu filho, Rubens Ermírio de Moraes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.