Lula pede contenção aos colegas da América do Sul

O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou em seu discurso, durante a reunião extraordinária da Unasul, que acredita em um melhor nível de relação entre os países da América do Sul. Creio que temos as oportunidades para construir outro standard melhor de relação entre nós, opinou o presidente.

Agência Estado |

Lula disse que também quer discutir a questão política na Unasul. "A única maneira de lidar com conflitos precipitados é que nós nos contenhamos em nossas palavras e, em política, a palavra tem um poder excepcional. Uma palavra mal colocada sobre alguém pode gerar muita confusão, que demora meses em se solucionar".

A referência de Lula foi clara às trocas de acusações entre os presidentes Hugo Chávez, da Venezuela, e Rafael Correa, do Equador, com o colombiano Álvaro Uribe. "Deveríamos dedicar determinado tempo para discutir a questão da Venezuela, Colômbia e o que aconteceu no Equador", sugeriu. Porém, Lula fez uma advertência: "um pode culpar o outro, mas isso não soluciona o problema. Quando estamos numa mesa como esta, temos que decidir antes de entrar se vamos entrar para construir um ambiente de paz ou de guerra. Se é de paz, podemos terminar de uma vez com tantas ameaças e diferenças".

Antes da reunião, Lula tomou café da manhã com Chávez e pediu moderação em seu discurso de hoje. No entanto, Chávez preferiu denunciar os Estados Unidos por "sua clara estratégia de defesa e mobilização de guerra a partir de bases que pretende instalar na Colômbia".

Sobre essas bases, Lula defendeu a realização de uma reunião com o presidente dos EUA, Barack Obama, para que ele "explique qual o papel de seu país na América Latina". No entanto, segundo Lula, Obama ainda não respondeu ao seu pedido. O presidente brasileiro ainda brincou com Correa: "creio que não poderia deixar de ser tão sincero com vocês, porque além de vê-los como chefes de Estado, os vejo como companheiros. Há cinco ou seis anos que estamos juntos e, sinceramente, creio que temos que provocar uma boa discussão com os EUA, com o presidente Obama, e você Rafael, que estudou em Harvard, tem mais condições para isso".

Lula disse que a Unasul poderia estar mais tranquila em relação ao acordo da Colômbia com os EUA se "pudéssemos ter a segurança jurídica de que é algo específico do território colombiano". O presidente também defendeu a colocação em funcionamento do Conselho de Combate ao Narcotráfico da Unasul, para levantar a situação do tráfico de drogas na região. "Devemos dar uma oportunidade a nós mesmos" e, "tomando o que disse a presidente do Chile, Michelle Bachelet, dar lugar nesta luta à polícia e não aos militares, respeitando a soberania de cada país, e pôr em andamento o Conselho de Combate ao Narcotráfico", arrematou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG