CHIMORE (Bolívia) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu neste sábado ao presidente da Bolívia, Evo Morales, que olhe ¿com carinho¿ a situação de cerca de 5 mil brasileiros que vivem ilegalmente no lado boliviano da fronteira com o Brasil. Em reunião reservada, o presidente Lula pediu um pouco mais de tempo ao colega boliviano.

Um acordo bilateral prevê que esses brasileiros tenham de deixar o local até dezembro deste ano sem receber indenização pelas benfeitorias. O governo brasileiro promete ajudar os cidadãos que queiram continuar na Bolívia. Entretanto, essas famílias deverão sair da faixa de fronteira.

Além disso, o governo destinou R$ 20 milhões para a Organização Internacional para Migrações (OIM), uma entidade internacional com sede em Buenos Aires. Essa organização está visitando os brasileiros para ajudar no assentamento dessas famílias em território boliviano, no departamento (Estado) de Pando.

Ricardo Stuckert/PR

Presidente Lula vestido com roupa típica ao lado de Evo Morales durante visita à Bolívia

A opção de ir para Pando não é atrativa para os brasileiros uma vez que a região é afastada e não há a infraestrutura disponível na fronteira com o Brasil.

De acordo com dados do governo, desde 2006, somente oito brasileiros conseguiram regularizar a sua situação no país vizinho. Já no Brasil, 48 bolivianos foram regularizados e vivem, principalmente, em São Paulo.

O principal objetivo da visita de Lula à Bolívia é a formalização de um empréstimo de US$ 323 milhões [quase R$ 650 milhões] para a construção de uma estrada naquele país que fará parte de um corredor que vai ligar o oceano Atlântico ao Pacífico.

*com informações das agências Brasil e Estado

Leia mais sobre: Lula

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.