Lula passará por avaliação médica no sábado no InCor

SÃO PAULO - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se recupera de uma crise de pressão alta, passará por uma avaliação médica no sábado no Instituto do Coração (InCor) da Universidade de São Paulo. A informação é da assessoria da Presidência da República. O procedimento, marcado para as 8h, deve levar toda a manhã e será coordenado pelo cardiologista Roberto Kalil Filho, médico pessoal do presidente há cerca de 20 anos.

iG São Paulo |

Nesta sexta-feira, o médico-chefe da coordenação da saúde da Presidência da República, Cléber Ferreira, irá à tarde até a casa do presidente, em São Bernardo do Campo, para fazer uma nova avaliação médica, medir a pressão e verificar os batimentos cardíacos dele. Ferreira acompanha diariamente Lula em seus deslocamentos em Brasília e nas viagens.

Lula descansa desde quinta-feira em sua residência, após ter um pico de pressão arterial (18 por 12) na quarta-feira à noite, no Recife. Na quinta, ele já apresentava pressão de 11 por 8, de acordo com a assessoria.

A crise de hipertensão fez o presidente cancelar sua agenda de compromissos até domingo. O problema de saúde também levou ao cancelamento da viagem que Lula faria à Suíça para participar do Fórum Econômico Mundial, em Davos, onde receberia o prêmio "Estadista Global".

A primeira previsão de retomada da programação de Lula é na segunda-feira, às 10h, na reabertura dos trabalhos do Judiciário, no Supremo Tribunal Federal (STF). No entanto, não está descartada sua presença em evento religioso previsto para sábado na Igreja Mundial do Poder de Deus, em São Bernardo do Campo.

Na semana que vem, o presidente Lula já tem viagem prevista para três Estados, a partir da quarta-feira: Rio de Janeiro, São Paulo (na quarta-feira) e Rio Grande do Sul (na sexta-feira).

AE

Lula durante evento na quarta-feira no Recife

Agenda lotada

Lula vinha há dias reclamando de cansaço. Para os médicos, a crise hipertensiva é um quadro típico de estresse puxado por uma pesada agenda oficial. Foram 12 cidades percorridas nos últimos 14 dias e mais de 30 compromissos. Lula sofre de insônia e, quando despacha de Brasília, trabalha em média 12 horas por dia. Não raro, transfere seu gabinete para casa, o Palácio da Alvorada.

Nas viagens de avião - apesar da cama de casal em uma área privativa da aeronave -, dificilmente consegue um repouso tranquilo. O presidente tem medo de voar. Cerimônias, jantares, inaugurações Brasil afora e atividades com o PT acabaram resultando em uma noite no hospital sob observação e à base de diuréticos.

Dilma ressaltou que as horas que antecederam o mal-estar do presidente tinham sido muito intensas. [Na segunda-feira, 25,] fomos primeiro para o Rio de Janeiro, onde cumprimos toda a agenda de visitas às obras do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento]. Depois fomos ao aniversário de Dona Amélia, mãe do Chico Buarque, e a uma festa com o governador Sérgio Cabral. Depois voltamos a Brasília, onde chegamos às 2h30 da madrugada. No outro dia, viajamos para o Rio Grande do Sul, onde participamos do Fórum Social Mundial. Depois fomos para Pernambuco, onde tivemos uma agenda bem pesada. O presidente ia para a Suíça, mas resolveu cancelar as viagem depois que passou mal.

Agenda no Recife

Em Pernambuco, onde Lula chegou por volta das 15h30 de quarta-feira, no primeiro compromisso, às 15h40, Lula assina decreto de criação da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) de Suape; por volta da 16h, participou da inauguração da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Paulista; às 18h, o presidente participou de cerimônia em homenagem às vítimas do Holocausto; à noite, por volta das 22h, Lula foi ao jantar oferecido pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos, no Palácio Campos da Princesas.

(*com informações da Reuters e Estado)

Leia também:

Reuters
Amorim recebe prêmio em nome de Lula em Davos

Amorim recebe prêmio em nome de Lula em Davos

Leia mais sobre: Lula 

    Leia tudo sobre: lula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG