Publicidade
Publicidade - Super banner
Brasil
enhanced by Google
 

Lula passa por exames médicos sábado no InCor

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se recupera de uma crise de pressão alta, passará por uma avaliação médica no sábado no Instituto do Coração (InCor) da Universidade de São Paulo. A informação é da assessoria da Presidência da República. O procedimento, marcado para as 8h, deve levar toda a manhã e será coordenado pelo cardiologista Roberto Kalil Filho, médico pessoal do presidente há cerca de 20 anos.

Reuters |

Apesar de o presidente ter anunciado cancelamento de sua agenda de compromissos até domingo, não está descartada sua presença em evento religioso previsto para sábado na Igreja Mundial do Poder de Deus, em São Bernardo do Campo, Grande São Paulo.

Como o local é próximo de sua residência, onde descansa, ele pode decidir ir. Ao contrário, a ida a Salvador, em evento do Fórum Social Mundial também no sábado, foi cancelada.

Lula se recupera desde quinta-feira em sua residência em São Bernardo após ter tido um pico de pressão arterial (18 por 12) na quarta-feira à noite, em Recife, onde foi hospitalizado.

Na quinta, ele já apresentava pressão de 11 por 8, de acordo com a assessoria. A melhora foi atestada pelo médico da Presidência, coronel Cleber Ferreira, no final da tarde de quinta após visita a Lula. O médico permance a postos, hospedado em um hotel da cidade.

A crise de saúde foi atribuída por ministros e assessores à rotina intensa de trabalho. Foram 12 cidades percorridas nos últimos 14 dias e mais de 30 compromissos entre cerimônias, jantares e inaugurações pelo país.

Seu estado de saúde impediu que ele comparecesse nesta sexta-feira ao Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça e onde receberia o prêmio "Estadista Global". O evento é a meca de líderes empresariais, economistas e políticos.

Além da primeira-dama, Marisa Letícia, Lula esteve acompanhado na residência pelos filhos Fabio, Sandro, Marcos e Luiz Cláudio. Recebeu telefonemas de ministros e dos presidentes Fernando Lugo (Paraguai) e Álvaro Uribe (Colômbia), que foram atendidos por assessores.

(Reportagem de Carmen Munari)

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG