Lula nega pressões do PMDB para ocupar cargo de Múcio

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva procurou afastar nesta terça-feira os rumores sobre as pressões do PMDB para ocupar a pasta das Relações Institucionais. Em um encontro de emergência na noite de segunda-feira, Lula reuniu em seu gabinete o presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no Senado.

Reuters |

"Não existe pressão (para tirar o ministro)... Ontem fiz uma reunião com o presidente da Câmara, com o líder do PMDB na Câmara e (o líder do governo) no Senado. Todos foram prestar solidariedade ao José Múcio", disse Lula a jornalistas em viagem ao Piauí, onde avalia os prejuízos causados pelas enchentes.

O PMDB, que já ocupa seis ministérios do governo Lula, quer ampliar a participação política no Executivo, mas negou que pretenda a pasta que tem à frente o deputado José Múcio Monteiro, do PTB.

"O ministro Múcio é bom para o PMDB. Ele é considerado imexível para nós", disse à Reuters o líder Henrique Alves.

O partido defende a presença do ministro Geddel Viera Lima (Integração Nacional) nas reuniões de coordenação política, apesar de a pasta ocupada por ele ser técnica. Esta ampliação na participação política do governo tem em vista um futuro apoio à candidatura da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) à sucessão presidencial.

O partido também estaria insatisfeito com demissões de indicados na Infraero, estatal que administra os aeroportos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG