Lula: meta do Brasil para clima levou a anúncio de EUA e China

BRASÍLIA (Reuters) - No dia em que começam os debates da conferência sobre o clima em Copenhague, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o Brasil está em situação confortável para discutir o tema das mudanças climáticas, uma vez que só depois que o governo brasileiro anunciou sua meta, Estados Unidos e China apresentaram seus números. Em seu programa semanal de rádio Café com o Presidente desta segunda-feira, Lula previu que os países participantes do evento organizado pelas Nações Unidas vão entrar em acordo em torno de uma proposta global para diminuir as emissões de gases do efeito estufa. Ele também voltou a defender investimento para que os países pobres possam se desenvolver.

Reuters |

"Nós achamos que, até chegar Copenhague, os países vão se colocar de acordo, porque é preciso ter um número para diminuir as emissões, é preciso que tenha financiamento para o sequestro de carbono, e, sobretudo, é preciso ter financiamento para que a gente ajude os países pobres a terem um desenvolvimento sustentável, mas sólido", disse Lula no programa.

O compromisso brasileiro, anunciado em novembro e classificado por Lula de "extremamente ousado", prevê diminuir as emissões de gases entre 36,1 e 38,9 por cento até 2020. "Por conta dessa proposta, os países começaram a apresentar números. O Obama, presidente Obama (EUA), apresentou número. Os chineses apresentaram número."

"Temos que tomar uma decisão agora e começar a trabalhar para diminuir o aquecimento global", completou o presidente.

Delegados de 190 nações chegaram a Copenhague neste final de semana para a cúpula sobre mudança climática da ONU, que começa nesta segunda-feira e busca um novo acordo global em substituição ao Protocolo de Kyoto, que expira em 2012.

A presença de chefes de Estado está prevista para os dias 17 e 18 de dezembro com o objetivo de dar envergadura política para um acordo. Lula tem afirmado que comparecerá, assim como o presidente dos EUA, Barack Obama, o premiê chinês Wen Jiabao e seu colega indiano Manmohan Singh.

Lula também afirmou que a questão climática foi tratada em suas visitas realizadas na semana passada à Ucrânia e Alemanha e também no encontro ibero-americano em Portugal. "Obviamente que esse é o tema do momento," comentou.

(Reportagem de Ana Paula Paiva)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG