Lula lembra 20º aniversário da morte de Chico Mendes

No dia em que se completaram 20 anos do assassinato de Chico Mendes, no Acre, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o líder seringueiro só passou a ser compreendido no País depois de ser premiado pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 1987. Até então, ele era tratado aqui no Brasil como se fosse uma figura baderneira, um grevista, que atrapalhava que os empresários derrubassem a floresta.

Agência Estado |

E o Chico Mendes defendia não apenas a floresta por defender a floresta. Ele defendia um jeito moderno de o povo que mora na floresta sobreviver", lembrou Lula, no programa de rádio semanal "Café com o presidente".

Ao homenagear o sindicalista, Lula contou que o conheceu em 1980, ano de fundação do PT. Chico Mendes foi dirigente do partido no Acre. "Tivemos uma relação política forte", lembrou. "Quando Chico Mendes foi assassinado é que o Brasil tomou consciência de que tinha uma liderança extremamente importante, anônima." O presidente afirmou que há "muitos Chico Mendes espalhados pelo Brasil afora" e que começam a ser valorizados. "Chico Mendes merece sem lembrado aqui, merece ser lembrado no mundo, porque fez a diferença na defesa da dignidade da vida e da preservação da floresta", concluiu Lula.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG