Com fatia de recursos e projetos herdados do primeiro plano, a segunda edição do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) será lançada amanhã, a dois dias da despedida de Dilma da Casa Civil, embalado por previsões de investimentos que somam a astronômica quantia de R$ 1 trilhão. A cifra inclui estimativas de desembolsos do governo, das estatais e de empresas privadas para o período de 2011 a 2014, quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já estiver fora do Palácio do Planalto.

Preparada para impulsionar a candidatura da ministra Dilma Rousseff à Presidência, o PAC 2 mira o eleitor das grandes cidades, apresenta um pacote de verbas para saúde e educação e faz promessas de cunho "municipalista", como construir 6 mil creches e postos de polícia comunitária.

Embora 54% dos 12.163 empreendimentos previstos no primeiro PAC não tenham saído do papel desde 2007 - data de seu nascimento -, o governo quer inflar esse orçamento, de olho no eleitorado dos grandes centros urbanos. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.