Lula lamenta escândalo sobre passagens aéreas no Congresso

BRASÍLIA - O ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, informou nesta sexta-feira que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lamentou o escândalo de uso irregular de passagens aéreas que assola o poder Legislativo nas últimas semanas. Deputados e senadores são acusados de usarem os bilhetes aéreos pagos pelas Casas em beneficio próprio, com viagens sem relação com exercício do mandato parlamentar, custeando, inclusive, viagens de parentes e artistas.

Carollina Andrade - Último Segundo/Santafé Idéias |

O presidente lamentou o episódio e disse que precisava se chegar a um final nisso. Para ele, o que está acontecendo é muito ruim para o Congresso. O cidadão comum não tem como compreender e entender [...] por mais que existisse ou fossem dadas as explicações, destacou Múcio após a reunião de coordenação política.

Ao ser questionado se a Câmara dos Deputados deveria adotar a mesma medida que o Senado, que limitam ao parlamentar e a assessores as viagens custeadas pelo parlamento, e garantem a publicação de informações na internet, Múcio destacou que esta decisão cabe ao presidente da Casa, Michel Temer (PMDB-SP).

Isso ai é uma decisão do presidente da Casa. Eu sei bem a posição dos líderes. Ontem conversei com cada líder e todos acham que a posição devia ser semelhante a do Senado, onde a passagem deveria ser só para o parlamentar, acrescentou.

Michel Temer (PMDB-SP) anunciou nesta semana mudanças nas regras para uso da cota de passagens aéreas que cada deputado federal tem direito. A proposta do presidente é que, a partir de agora, as passagens poderão ser retiradas apenas no nome do parlamentar ¿ familiares e terceiros não poderão ser beneficiados com a cota. A decisão deverá ser votada no plenário na próxima semana.

Briga no Supremo

Durante a reunião de coordenação política, os ministros lamentaram ainda o bate-boca entre o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes e o ministro Joaquim Barbosa, na última quarta-feira.

Lamentamos o desentendimento. É uma questão do poder judiciário. São dois amigos. É um poder, uma imagem. Não foi uma boa semana pra ninguém, acrescentou.

Durante sessão plenária no STF, o ministro Gilmar Mendes criticou a posição de Joaquim Barbosa sobre um processo em discussão. Na ocasião, Barbosa cobrou respeito do presidente, e disse que ele não poderia lhe dar lição de moral, pois está destruindo a Justiça brasileira.

Na ocasião, Barbosa chegou a dizer que Gilmar Mendes não estava falando com seus capangas do Mato Grosso, e que por isso merecia respeito.

No entanto, na última quinta-feira, Mendes negou que o episódio tenha causado uma crise institucional no tribunal.

Temer submete mudanças ao plenário

Leia também:

Leia mais sobre: Câmara


    Leia tudo sobre: congressopassagem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG