O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje, em São Paulo, que a investigação sobre as causas do apagão que deixou 18 Estados sem luz na última terça-feira ainda está na fase do achismo. Só posso confiar em informações técnicas para saber se tem coisa além do que eles, ministros da área energética, me colocaram, de que seria por conta das intempéries, disse.

"Nós estamos na fase do achismo. Quando terminar a fase do achismo, nós vamos entrar na fase mais objetiva, que são os resultados concretos de toda a investigação."

Ao contrário da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que tentaram dar o caso por encerrado, Lula admitiu que não há certeza sobre o que motivou o blecaute. "O caso foi muito delicado. Não estourou nenhuma torre, não desmontou nada e aconteceu um blecaute sem tamanho. Já vi tanta coisa que fico sempre com cuidado." O presidente citou a possibilidade de o problema ter sido causado por um raio, excesso de carga ou até mesmo erro humano. Descartou, no entanto, a hipótese de tratar-se de uma sabotagem. "Descarto sabotagem. Quem quer fazer sabotagem para o Brasil nesse momento tão bonito? Não acredito."

Questionado se estava preocupado com os efeitos negativos do incidente para a imagem do governo às vésperas de um ano eleitoral, sorriu e respondeu, sem citar nomes: "Tem gente que gostaria." Para Lula há pessoas que tratam o apagão com o mesmo "prazer" que trataram o acidente com um avião da TAM, em julho de 2007. "Tenho notado algumas pessoas falando do apagão com o mesmo prazer que falavam culpando o governo quando o avião da TAM teve aquele acidente no aeroporto de Congonhas. Escreveram que o governo iria carregar 200 mortes nas costas", disse. "Até que a verdade foi aparecendo e prevalece que teve uma falha humana no avião da TAM."

O presidente Lula fez as declarações após participar da abertura do 9º Congresso Nacional de Iniciação Científica (Conic), no campus Liberdade das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), na região central da capital paulista.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.