BRASÍLIA - O PMDB afirmou que vai dar sustentação à candidatura da ministra Dilma Rousseff para a eleição presidencial de 2010, informaram hoje fontes políticas.

Celebrado durante um jantar na terça-feira no Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o acordo foi fechado em uma reunião com a participação de líderes do PMDB e do PT e da própria Rousseff, ministra-chefe da Casa Civil.

O deputado federal Michel Temer (PMDB-SP), presidente do partido, disse nesta quarta-feira que diante um acordo político, a sigla respaldará a candidatura de Rousseff à Presidência e indicará o nome do vice-presidente na chapa.

Temer esclareceu que a aliança entre o PMDB e o PT deverá ser sacramentada por ambos os partidos nas convenções dos partidos.

No entanto, disse que está convencido que nada impedirá a oficialização do acordo entre os partidos.

Temer, atual presidente da Câmara dos Deputados, é visto no PMDB como o possível parceiro de Rousseff na corrida eleitoral de outubro de 2010.

"Os nomes (do candidato e do vice-presidente) serão consequências de circunstâncias políticas que serão definidas no próximo ano", disse.

Temer considerou que o PMDB e o PT devem concentrar esforços em torno da candidatura de Rousseff e em atrair outros partidos da atual coalizão de Governo.

"Seria útil ter um bloco (de partidos) com a candidatura da ministra", indicou.

O PMDB entrou com força no Governo em 2005, em meio aos escândalos de subornos a deputados, e desde então se consolidou como a sigla mais influente no Executivo.

Além disso, o partido é o de maior força eleitoral no país, o que ficou provado nas eleições estaduais de 2006 e nas municipais de 2008.

Em 2006, quando apoiou a candidatura de Lula à reeleição, o PMDB o fez com Governos de sete dos 27 estados, enquanto nas municipais de 2008 o partido venceu em 1.201 dos 5.563 prefeituras.

Outro fato é a liderança no Senado, presidido pelo ex-presidente o senador José Sarney.

Segundo fontes políticas, o PMDB e o PT confiam que Rousseff também contará no próximo ano com o reforço de pelo menos outros cinco partidos, como o PDT, PP, PCdoB, PRB e o PR.

Além dos partidos, Rousseff será a candidata de Lula, presidente com 80% do apoio da população e que não poderá concorrer ao terceiro mandato porque a Constituição não permite. EFE ed/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.