Lula ganha sapatos da Artioli e Serra cobra o seu par

Em tom de brincadeira, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), não escondeu o ciúme por não ter ganhado um par de sapatos da grife italiana Artioli, famosa por vestir algumas das principais autoridades do mundo, na abertura da 36ª Couromoda - Feira Internacional de Calçados, Artigos Esportivos e Artefatos de Couro, realizada no Parque Anhembi, em São Paulo. Vito Artioli, dono da fabricante, presenteou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva com um par de sapatos feito à mão especialmente para ele.

Agência Estado |

A Artioli é conhecida por sua célebre galeria de clientes, que inclui o primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, e a realeza da Jordânia e do Marrocos. Ao cumprimentar Vito Artioli em seu discurso, Serra manifestou, em tom de brincadeira, o pesar de não ter recebido os sapatos da grife italiana. "Fica me devendo um sapato. Vi lá com inveja o sapato que ele entregou ao presidente e achei que iria vir um para São Paulo, mas ficou para a próxima", disse, sob risos e aplausos das pessoas que assistiam à abertura do evento.

Também em discurso, Lula não deixou por menos. "Primeiro vou dizer ao Serra que eu não posso dar um presente que eu ganhei, mas se ele quiser um pé emprestado de vez em quando para mostrar a harmonia que existe entre São Paulo e o Brasil pode me falar que será presenteado", afirmou.

Uma das histórias mais pitorescas da Artioli é que ela foi unanimidade mesmo entre inimigos. Em 2003, pouco antes da invasão dos Estados Unidos ao Iraque, o tabloide inglês The Sun noticiou que a Artioli recebeu ao mesmo tempo encomendas dos presidentes George W. Bush e Saddam Hussein. Eles encomendaram três pares, cada um, de sapatos pretos idênticos. A única diferença era o tamanho: Bush calçava o tamanho 10 e Saddam, o 9-1/2.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG