Lula evita adiantar se vetará reajuste de aposentados

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva evitou adiantar nesta quarta-feira se vai vetar um patamar de reajuste dos benefícios dos aposentados que ganham acima do salário mínimo maior que o proposto ao Congresso Nacional. O governo propôs aumento de 6,14 por cento e já sinalizou que chega até 7 por cento, enquanto parte do Congresso discute um índice de até 7,7 por cento.

Reuters |

"Não posso dizer se vou manter ou não vou manter (o índice aprovado pelo Congresso)", disse Lula a jornalistas. "Eu vou esperar votar e quando isso chegar na minha mesa tranquilamente eu vou tomar a decisão do que fazer."

Ele afirmou que vai levar em conta as condições políticas da votação e se a Previdência suportaria o reajuste.

Mais cedo, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, havia dito que sugeriria ao presidente o veto de um aumento superior a 6,14 por cento.

O reajuste de 6,14 por cento custaria 6,7 bilhões de reais à União. Um aumento de 7 por cento teria um impacto adicional de 1,1 bilhão de reais, enquanto um aumento de 7,7 por cento geraria despesa adicional de 1,7 bilhão de reais para o governo.

(Reportagem de Carmen Munari)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG