Lula espera fim do expediente para ir a evento com Dilma

A candidatura da ex-ministra Dilma Rousseff à Presidência vai receber apoio do PCdoB nesta quinta-feira, durante evento em Brasília, na presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Esta é a primeira vez que o presidente aparecerá ao lado da pré-candidata do PT depois que ela deixou o governo, há uma semana. Para não ter problemas com a legislação eleitoral, Lula confirmou presença no ato após o expediente, a partir das 18 horas. A regra veta participação de agentes públicos em atos de pré-campanha durante o horário de trabalho.

Andréia Sadi, iG Brasília |

No começo desta semana, Lula disse que só vai fazer campanha para a ex-ministra quando estiver de folga."A prioridade é ser presidente da República. Essa é minha obrigação."

O presidente do PCdoB, Renato Rabelo, disse que o "caráter plebiscitário" da eleição fez com que o partido amadurecesse a convicção de que a melhor escolha seria apoiar Dilma.  Para apoiar uma pré-candidatura, como é o caso, é indispensável uma plataforma clara com pontos de vista comuns. As nossas conversas permitiram maior conhecimento mútuo e a revelação da identidade de objetivos, afirmou Rabelo.

AE
Presidente Lula cumpre agenda e depois irá a evento com Dilma

Em clima de campanha, o evento do PCdoB, no centro de convenções Ulysses Guimarães, vai reunir autoridades como o vice-presidente, José Alencar, o presidente do PT, José Eduardo Dutra e mais de dez ministros. Este é o segundo ato que Dilma participa nesta semana onde recebe apoio de partidos para a sua candidatura. O primeiro foi organizado pelo PR.  Entre os artistas convidados, estarão os sambistas Martinho da Vila, Leci Brandão e o vereador Netinho de Paula, que está de olho em uma vaga para o Senado.

Para manter em evidência a candidatura de Dilma, o comando de campanha da ex-ministra da Casa Civil quer organizar neste mês a rede de busca de votos do eleitor em uma nova fase da disputa eleitoral. A ideia é montar desde já com os partidos médios e pequenos da aliança a "infantaria", como está sendo chamado entre os coordenadores da campanha o grupo de militantes responsável por conquistar os votos nas bases eleitorais.

As conversas começaram na última segunda-feira com o PR e continuam nesta quinta-feira, com o ato de apoio formal do PCdoB à candidatura de Dilma.

A estratégia é uma forma de compensar com os demais aliados a ausência do PMDB nesse tipo de ação. Petistas ligados a Dilma avaliam que não poderão contar com o PMDB para garantir esse lastro de campanha. Nos dois maiores colégios eleitorais, São Paulo e Minas Gerais, dificilmente o PMDB fará o trabalho braçal de buscar os votos para Dilma nas bases, avaliam os coordenadores da campanha.

    Leia tudo sobre: dilmaeleicoeseleiçõeslula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG