Tamanho do texto

BRASÍLIA - O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou nesta terça-feira que no final de seu mandato estará empenhado em preparar o País para os compromissos firmados até 2016, como a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas em 2016. A afirmação foi feita em cerimônia de posse do ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Samuel Pinheiro Guimarães Neto, que assume vaga deixada por Mangabeira Unger.

Vamos trabalhar com um PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) de 2011 a 2015. [...] Estas decisões vão exigir ainda em 2010 preparar toda a infra-estrutura para que possa fazer estas coisas acontecerem neste País, destacou.

Lula enfatizou a importância das discussões sobre o pré-sal e a Amazônia para o fortalecimento do País. A Amazônia e o pré-sal são coisas extraordinárias que temos que nos preocupar porque podem ser redenção deste País, destacou Lula.

Lula também defendeu a continuidade do governo como condição para alcançar os objetivos de crescimento do País. Se cada um tiver uma visão, fica um efeito sanfona. Fica sem fazer projeto concreto, disse.

O presidente declarou que, em seu primeiro mandato, teve de atender a questões emergenciais. A gente estava tão metido na sobrevivência cotidiana que não tinha tempo de pensar longo prazo, argumentou. A perspectiva de reeleição o teria levado a deixar a lançamento do PAC para 2007. Eu ia lançar antes da campanha eleitoral [de 2006]. Mas um amigo propôs não lançar antes porque ia ser peça eminentemente eleitoral e perderia credibilidade. O que me confortou foi que este amigo disse que eu ia ganhar as eleições sem PAC, alfinetou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.