Lula elege crise para tema de mensagem ao Congresso

A crise financeira internacional, embora séria, deve continuar sendo enfrentada com serenidade. A avaliação é do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e foi feita em mensagem enviada ao Congresso Nacional no começo da noite, durante a abertura do ano legislativo.

Agência Estado |

A mensagem presidencial foi levada ao plenário pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, mas lida pelo primeiro-secretário da Mesa Diretora da Câmara, deputado Rafael Guerra (PSDB-MG).

Lula destacou, na mensagem, que o País tem hoje instituições sólidas e o Congresso vem cumprindo um importante papel no enfrentamento da crise, contribuindo com o debate de medidas e atuando com agilidade na tramitação das pautas mais urgentes. "Temos todas as condições para enfrentar a crise. O Brasil que juntos construímos nos últimos anos é muito mais forte e consciente de suas conquistas", diz a mensagem do presidente.

Logo no início da mensagem, Lula afirma que "chegamos a 2009, após seis anos de trabalho duro, com o Brasil capaz de dar continuidade ao desenvolvimento, enfrentar com firmeza e compromisso a grave situação" da economia internacional. Segundo ele, esse é um resultado de enorme esforço coletivo, não só do Executivo, mas do Legislativo, Judiciário e de toda a sociedade. A mensagem do presidente também destaca os bons indicadores da economia em 2008 e as descobertas da camada do pré-sal, o que "abriu novo e extraordinário horizonte para toda a nossa indústria de base".

Antes da leitura da mensagem presidencial, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, fez a leitura da mensagem do poder Judiciário ao Congresso. Ele fez uma síntese das realizações do Judiciário nos últimos anos e agradeceu a colaboração do Congresso Nacional em atender as pautas defendidas pelo Judiciário. Sobre os papéis de cada poder, Mendes afirmou que "a Corte tem a real dimensão que não lhe cabe substituir o legislador" e destacou que a aplicação da Constituição é tarefa de todos os poderes.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG