Lula e Dilma se livram de acusação de propaganda eleitoral antecipada

BRASÍLIA - O presidente Lula e a ministra Dilma Rousseff conseguiram se livrar no Tribunal Superior Eleitoral da acusação de propaganda eleitoral antecipada no Encontro Nacional de Novos Prefeitos e Prefeitas, realizado em fevereiro. Para sustentar a defesa, o procurador-geral da União, Fernando Luiz Albuquerque Faria, chegou a citar o fato de a ministra estar doente.

Agência Estado |

É importante destacar que a ministra Dilma ainda nem sequer é considerada pré-candidata. As convenções partidárias ainda não ocorreram. Muita coisa pode acontecer até lá. Inclusive, nós sabemos que a ministra Dilma recentemente teve um problema de saúde, que inclusive inúmeros políticos se preocuparam com essa situação, afirmou Faria.

No julgamento, os ministros do TSE rejeitaram por unanimidade a representação na qual o PSDB e o DEM pediam que Lula e Dilma fossem punidos por propaganda eleitoral antecipada.

Segundo ele, não havia provas. Não se pode extrair nada mais grave que pudesse ser imputado às pessoas envolvidas no incidente, resumiu o ministro Aldir Passarinho.

Leia mais sobre: campanha eleitoral

    Leia tudo sobre: campanhadilma rousseff

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG