Lula é a favor de aliança PT-PSDB em BH, diz Aécio

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu hoje o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), e, na conversa de cerca de uma hora, manifestou-se favorável à parceria entre o PT e o PSDB visando a sucessão do prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT). O presidente disse que não vê qualquer dificuldade para esse entendimento, mas registrando que essa é uma condução que deve ser feita pelos partidos, com o que eu concordo, resumiu Aécio, ao fim do encontro, que classificou de muito agradável e produtivo.

Agência Estado |

O aval à aliança foi dado logo depois de um grupo de parlamentares do PT de Minas ter se reunido com o presidente nacional da legenda, deputado Ricardo Berzoini (SP), em mais uma tentativa de impedir que tucanos e petistas estejam juntos na sucessão na capital mineira. O candidato do governador de Minas Gerais a prefeito da capital é o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Márcio Lacerda (PSB), que compôs chapa com o PT de Pimentel no posto de vice-prefeito.

Apesar da articulação contrária de petistas, Aécio deixou o Palácio do Planalto apostando que o Diretório Nacional do PT reverá o veto à participação oficial do PSDB na coligação. Ele disse acreditar, "firmemente", que haja "espaço para que nós construamos algo a favor da cidade". Não apenas em benefício do município, como deseja a sociedade mineira, segundo Aécio.

"Eu tenho muita confiança de que as incompreensões serão superadas, que vamos fazer uma grande convergência em Belo Horizonte. Quem sabe essa convergência possa um dia sinalizar para uma nova construção política no Brasil", afirmou. Lula também estendeu a discussão política além dos limites de Belo Horizonte e do Estado. "A conversa foi ampla, sobre o Brasil e sobre o futuro", afirmou o governador de Minas a um parlamentar da cúpula do PSDB que trabalha para lançá-lo à sucessão do presidente em 2010. Este dirigente tucano destaca que, bem antes desta reunião com Aécio, Lula havia reafirmado o interesse em tê-lo como aliado, preferencialmente no PMDB.

Agenda

Por isso mesmo, a sigla entrou na agenda presidencial hoje. O presidente quis saber se o governador continua conversando com a cúpula peemedebista que articula a candidatura dele a presidente pela agremiação. Mais do que isso, deixou claro que esta é uma alternativa com a qual também ele, Lula, trabalha.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG