Lula diz que Protógenes não pode se afastar da Operação Satiagraha

BRASÍLIA - Em cerimônia no Palácio do Planalto na tarde desta quarta-feira, o presidente Luiz Inácio Inacio Lula da Silva afirmou que o delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz não pode deixar as investigações da Operação Satiagraha. O Protógenes não pode se afastar. Moralmente ele tem que ficar no caso até concluir o relatório e entregar ao Ministério Público.

Carollina Andrade - Último Segundo/Santafé Idéias |

Na ocasião, o presidente classificou como insinuações e mentiras as versões divulgadas pela imprensa de que o afastamento de Protógenes, anunciado na terça-feira, teve razões políticas. "Já falei com o ministro Tarso Genro para conversar com a Polícia Federal porque esse delegado tem que ficar no caso", disse o presidente.

Questionado por um jornalista sobre se o relatório não estava 99,9% concluído, como informou na noite de terça-feira o ministro da Justiça, Tarso Genro, o presidente Lula ressaltou que o relatório não havia sido concluído ainda e que, portanto, o delegado não poderia dar vazão às insinuações de que ele havia sido afastado.

O que queremos neste caso é responsabilidade. Depois de fazer investigações por mais de quatro anos, de apurar, na hora de finalizar o relatório, esse cidadão fala que vai sair para fazer um curso e ainda dá vazões para insinuações de que ele foi tirado. Isto não pode", criticou Lula.

O presidente ressaltou ainda que se Protógenes desejar deixar as investigações, ele deverá vir a público explicar seu afastamento. "Ele tem que dar declarações à população sobre o motivo de seu afastamento", afirmou.

Afastamento

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Federal, Queiroz teria pedido seu afastamento entre os dias 21 de julho e 22 de agosto nesta segunda-feira em reunião com a diretoria da Polícia Federal em Brasília. Ele teria alegado que precisa concluir um curso de atualização, mas já teria afirmado que não quer voltar às investigações da Operação Satiagraha.

De acordo com a PF, os outros dois delegados - Carlos Eduardo Pellegrini Magro e Karina Murakami Souza - continuam no caso, ao contrário do que tem sido divulgado. Segundo o Jornal Nacional, eles devem deixar o cargo na segunda-feira.

Procurador pede retorno

Nesta quarta, o procurador da República Rodrigo de Grandis, do Ministério Público Federal de São Paulo e responsável pela condução da Operação Satiagraha, deflagrada na semana passada pela Polícia Federal, encaminhou ao diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa, pedindo que Queiroz volte a conduzir o inquérito.

Em nota divulgada nesta quarta, o procurador e a procuradora Anamara Osório Silva lamentam a saída da equipe do delegado Protógenes do inquérito e avaliam que o afastamento dele e de sua equipe poderá comprometer "inquestionavelmente" a eficiência administrativa dessas investigações."

Leia também:

Leia mais sobre: Operação Satiagraha

    Leia tudo sobre: operação satiagraha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG