Lula diz que pressionará Irã a não produzir armas nucleares

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira que cobrará o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, a limitar o programa nuclear de seu país à produção de energia com fins pacíficos. Lula visitará em meados de maio o Irã, que é acusado por alguns países ocidentais, liderados pelos Estados Unidos, de buscar a fabricação de armas nucleares, o que a República Islâmica nega.

Reuters |

O presidente lembrou que o Brasil também produz energia nuclear com fins pacíficos e é contra o desenvolvimento de armas nucleares.

"Vou chegar no Irã e vou chegar para o Ahmadinejad e dizer: 'e aí, companheiro, qual é que é?'", disse Lula durante o evento em que o PCdoB anunciou seu apoio à candidatura presidencial de Dilma Rousseff (PT).

"O seu limite é o nosso", complementou.

Lula também comparou a atual situação do Irã à do Iraque, que foi invadido por forças lideradas pelos Estados Unidos depois de ser acusado de possuir armas de destruição em massa, o que nunca foi provado.

O presidente disse também não aceitar críticas à sua viagem ao Irã, uma vez que nunca perguntou porque os Estados Unidos estão fazendo uma guerra no Afeganistão.

(Reportagem de Fernando Exman e Maria Carolina Marcello)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG