Lula diz que G8 deixou de ser fórum para discutir crise

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira que o grupo dos países mais ricos (G8) mostrou que não está apto a discutir uma crise financeira como a iniciada no ano passado. Ele defende a inclusão de mais países ao grupo, como na reunião realizada em abril em Londres. Do ponto de vista político, o G8 mostrou que não é o fórum para discutir uma crise desta envergadura, precisa ter outros países, como o G20, disse Lula em entrevista concedida em Aracaju (SE), onde cumpriu extensa agenda nesta seta-feira.

Reuters |

Ele afirmou que o Brasil foi convidado para a próxima reunião do G8 e ele deve comparecer. O grupo é formado por Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França, Itália, Canadá, além da Rússia.

"Em cada reunião dessas, eu vou porque acho que o Brasil tem o que falar. Em política, quem fica quieto nessas discussões, no fundo, no fundo vai perdendo espaço", declarou.

Na próxima terça-feira, Lula participa da primeira reunião dos países que formam os Brics --Índia, Rússia e China, além do Brasil-- com o objetivo de discutir a crise econômica e uma maior integração entre os países emergentes. O encontro será em Yekaterimburgo, na Rússia.

"Vamos discutir coisas importantes para que a gente chegue na reunião do G8 mais fortalecido", disse Lula, que pretende também ampliar o comércio bilateral com os países que formam os Brics.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG