BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira que conseguirá eleger seu sucessor porque há ainda muito a ser feito no Brasil e o país não pode retroceder. Em discurso durante cerimônia de inauguração de prédios do Campus Avançado do Mucuri, da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, em Teófilo Otoni (MG), Lula disse que não se consegue resolver tudo em oito anos.

A plateia presente ao evento começou então a gritar o nome da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), pré-candidata do PT à Presidência da República.

"Eu não posso falar o que vocês estão falando porque a lei não permite, mas podem ficar certos de uma coisa: nós vamos fazer a sucessão nesse país para dar continuidade ao que nós estamos fazendo porque este país não pode retroceder", emendou Lula, tentando evitar desrespeitar a legislação eleitoral, que proíbe a antecipação da campanha.

A legislação prevê o início da campanha eleitoral para julho.

"Este país não pode voltar para trás como se fosse um caranguejo... nós não vamos parar mais", acrescentou.

Sem mencionar o nome do governador José Serra (PSDB-SP), Lula tem afirmado que a candidatura da oposição, se vencer as eleições de outubro, vai acabar com programas do governo federal, como o PAC, e executar práticas de seu antecessor no cargo.

O tucano Aécio Neves, governador de Minas Gerais, que tradicionalmente acompanha o presidente Lula em visitas a Minas, pela segunda vez este ano evitou acompanhá-lo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.