O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a assegurar hoje que fará o seu sucessor para que o País não viva um retrocesso. Lula insistiu na provocação aos adversários quando público gritou em coro o nome da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff - pré-candidata petista à Presidência -, durante a inauguração do campus avançado da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), em Teófilo Otoni (MG).

"Eu não posso falar o que vocês estão falando porque a lei não permite", disse o presidente quando a ministra retornou ao palanque depois de se reunir com prefeitos da região. "Mas podem ficar certo de uma coisa: nós vamos fazer a sucessão desse País para dar continuidade ao que nós estamos fazendo. Porque esse País não pode retroceder, esse País não pode voltar para trás como se fosse um caranguejo. O pobre aprendeu a ter autoestima. O pobre aprendeu a levantar a cabeça. Ele aprendeu que é bom conquistar as coisas e nós não vamos parar mais".

Dilma não discursou durante o evento e passou a maior parte do tempo fora do palanque. Em razão do atraso da comitiva do presidente, ela e o ministro das Cidades, Márcio Fortes, foram designados para a reunião com prefeitos da Associação da Microrregião dos Municípios do Vale do Mucuri (Amuc) para discutir repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.