O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que está disposto a negociar com o Congresso Nacional a edição medidas provisórias. Estou disposto a fazer o acordo necessário para o bom funcionamento da Câmara e do Senado, disse o presidente hoje em Haia, na Holanda.

Ele ressaltou, no entanto, que é preciso chegar a um consenso, porque algumas questões precisam ser definidas por medida provisória, como a contratação de professores para novas universidades.

Com relação a oposição, o presidente Lula disse que ela pode fazer o que bem entender, desde que não atrapalhe ou impeça que o Brasil dê certo. "A oposição tem que não atravancar ou atrapalhar o desenvolvimento do País, tentando obstruir as votações no Congresso. Essa é uma forma de fazer política de partido que não tem nenhuma experiência. Mas partido que já foi governo oito anos ou já governou desde que Cabral descobriu o Brasil não pode agir como estudantes torcendo para que as coisas não dêem certo", disse.

O presidente disse que continuará viajando pelo País, apesar das críticas da oposição, que acusa o presidente de estar fazendo campanha eleitoral. "Vou continuar viajando o Brasil para ver as obras do PAC acontecendo. A oposição não tem que se incomodar comigo." O presidente falou ainda sobre a Reserva Raposa do Sul, em Roraima, afirmando que o governo não quer usar a violência para a retirada dos arrozeiros. "Não queremos que ninguém seja vítima de ação do governo, mas tem algum arrozeiro criando caso", afirmou. "Não vamos fazer vítimas", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.