Lula determina mudanças nos saques do FGTS para vítimas de enchentes

BRASÍLIA - O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, determinou nesta quinta-feira que a ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e a presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Ramos, apresentem minuta para alteração no decreto que regulamenta o saque de recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) em favor de vítimas das enchentes em Santa Catarina. A decisão foi tomada após reunião com parlamentares da bancada catarinense no Congresso.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

Um dos pleitos apresentados pela bancada prevê a redução de 12 meses para zero no tempo necessário para a realização de saques do Fundo. Outro ponto é a ampliação do valor máximo de saques, que atualmente está em R$ 2,6 mil. A proposta é aumentar o valor para 10 salários mínimos no caso de vítimas de enchentes.

Em janeiro, também houve enchente e só no mês passado algumas pessoas receberam recursos do FGTS. Além da redução do prazo e da ampliação do valor, também pedi que parte da burocracia seja eliminada pois quem sofreu com as enchentes precisa dos recursos imediatamente, defendeu a senadora Ideli Salvatti (PT/SC) após reunião com Lula, no Palácio do Planalto.

Os ministros da Fazenda, Guido Mantega, e do Trabalho, Carlos Lupi, também devem participar da reunião, prevista para sexta-feira (28), para a mudança no decreto.

Nesta tarde, a senadora Ideli anunciou que foi informada em reunião com a presidente da Caixa Econômica Federal sobre a disponibilidade de um montante de R$ 1,5 bilhão para as vítimas da enchente.

A quantia será distribuída para ampliação do Caixa Fácil, para compra de eletrodomésticos; ampliação do Construcard, para compra de material de construção; e aumento do financiamento para setores operacionais e empresariais. O Banco do Brasil também oferece condições especiais de financiamento para as vítimas.

Rede elétrica

O presidente Lula também determinou que o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e o presidente das Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), Eduardo Pinho Moreira, se reúnam para discutir a necessidade de aporte financeiro para o restabelecimento da eletricidade nas regiões afetadas pelas chuvas.

De acordo com balanço divulgado pela Celesc às 16h30 desta quinta-feira, há ainda 33 mil unidades consumidoras sem energia elétrica em todo o estado (cada unidade consumidora equivale a aproximadamente 2,7 habitantes). Na região do Vale do Itajaí-Açu são 31 mil unidades. A expectativa da Agência Blumenau da Celesc é que 95% da rede na região esteja recuperada até o próximo domingo, se as condições climáticas permitirem. Na região de Blumenau, 27 mil unidades consumidoras ainda estão sem energia (10,8% da rede elétrica da região). A expectativa da Agência Blumenau da Celesc é que 95% da rede na região esteja recuperada até o próximo domingo, se as condições climáticas permitirem.

*(Com informações de Carollina Andrade da Santafé Idéias/Último Segundo)

Leia também:

Leia mais sobre: Santa Catarina

    Leia tudo sobre: santa catarina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG