Lula descarta crise institucional por bate-boca no Supremo

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva descartou nesta quinta-feira a existência de uma crise institucional decorrente do bate-boca no Supremo Tribunal Federal (STF). Eles se desentenderam e parece que trocaram palavras duras um com o outro, mas longe de viver uma crise institucional porque dois homens divergiram e não se entenderam, disse Lula a jornalistas durante coletiva de imprensa em Buenos Aires, na Argentina.

Reuters |

Na quarta-feira, os ministros Gilmar Mendes, presidente do Supremo, e Joaquim Barbosa discutiram de forma áspera durante um julgamento. A sessão, transmitida pela TV Justiça, foi encerrada, e os trabalhos do plenário da Corte da quinta-feira foram adiados.

Assista ao trecho da sessão desta quarta-feira

O presidente Lula disse que, pelo que soube por relatos da imprensa, os dois ministros já se acertaram. "Ou seja, mais uma possível crise que não era crise, era apenas um desentendimento", comentou.

Lula elogiou a transparência dos julgamentos no Supremo, mas voltou a criticar as aparições de ministros da corte na mídia.

"Se esse tipo de briga assistido por toda a sociedade brasileira ajuda a sociedade e ajuda a democracia, então tudo bem", afirmou.

"Eu creio que, quando nós temos determinadas funções, é importante que a gente diga tudo que a gente quiser nos autos do processo e que a gente não fique dizendo pela imprensa. Mas esse é um pensamento de um leigo, não é o pensamento de um magistrado", acrescentou.

Barbosa acusou Mendes de estar "destruindo a Justiça desse país". Após o evento, oito integrantes do STF divulgaram nota em apoio ao presidente da instituição.

Leia também:

Leia mais sobre: STF

    Leia tudo sobre: stf

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG