Lula defenderá programas sociais em Davos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai aproveitar a sua última participação no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, para defender os programas sociais do seu governo, mostrando o que mudou nessa área, os avanços que eles trouxeram ao País e fazendo uma comparação com o que encontrou quando assumiu o governo em 2003. Durante seu discurso no evento, no qual receberá o prêmio de Estadista Global do Fórum Econômico Mundial, Lula lembrará do já abandonado Fome Zero e dos avanços com os programas sociais posteriormente criados em seu governo.

Agência Estado |

Lula falará também sobre as políticas adotadas no Brasil para enfrentar a crise financeira internacional e suas repercussões no País. No discurso, segundo o porta-voz da Presidência da República, Marcelo Baumbach, o presidente Lula, mais uma vez, reiterará aos demais presidentes empenho para a "reabertura das negociações da Rodada Doha da OMC" e "voltará a defender a urgência da reforma da arquitetura financeira internacional na busca de lançar as bases de uma nova governança, sem permitir que poucos países tomem a decisões mais importantes para a economia mundial". Por fim, voltará ainda a alertar para "a necessidade da reformulação das instituições políticas internacionais para adequá-las à realidade atual e para dar-lhes mais eficácia, representatividade e legitimidade". Neste particular, prosseguiu o porta-voz, o presidente "sublinhará a urgência de um processo abrangente de reforma da ONU de forma a mantê-la no centro da ordem mundial".

Lula desembarca em Zurich, na Suíça, na quinta-feira, às 11h45, e não tem nenhum compromisso oficial agendado neste dia, até agora. Embora existam pedidos de encontros bilaterais, como por exemplo, do primeiro-ministro da Noruega, não foi marcada nenhuma reunião porque está havendo problema de agenda, já que a maior parte das autoridades já estará em Davos enquanto o presidente Lula ainda estará em Zurich, onde ficará hospedado.

Lula decola às 9h20 de sexta-feira para Davos, onde está sendo realizado o Fórum Econômico Mundial. Às 10h30, terá encontro com a presidente da Confederação Helvética, Doris Leuthard. Às 11h30, o presidente Lula discursará para 2.500 participantes do Fórum e, em seguida, receberá o prêmio de Estadista Global, que será entregue pelo ex-secretário-geral da ONU, Kofi Annan. O porta-voz lembrou que o prêmio será concedido ao presidente Lula "em reconhecimento ao seu trabalho de levar o Brasil a alcançar as metas de desenvolvimento econômico e progresso social de maneira integrada e equilibrada".

Após o término da cerimônia em Davos, o presidente Lula concede entrevista coletiva e, em seguida, partirá para Zurich e, imediatamente, para Salvador (BA), onde chegará 21h40. No sábado, ele participará do Fórum Social na capital baiana.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG