Lula defende Sarney e diz não querer crise institucional

Em rápida entrevista após cerimônia no Palácio do Buriti, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva saiu em defesa do presidente do Senado, senador José Sarney (PMDB-AP). Sarney foi eleito.

Agência Estado |

Os senadores elegeram ele. Ele tem um compromisso de fazer apuração e ele disse que está apurando isso. Só espero que haja apuração", afirmou ele. O presidente disse que "não quer transformar as coisas que aconteceram no Senado em uma crise institucional", referindo-se às denúncias sobre atos secretos, nepotismo e atuação do neto de Sarney em operações com crédito consignado aos servidores da Casa, publicadas na edição de hoje do jornal O Estado de S. Paulo .

Lula defendeu o afastamento dos diretores do Senado. "Ontem, cheguei em casa e fui ver TV. Vi um senador pedindo para que os diretores acusados não compareçam ao Senado porque estão constrangendo alguns senadores. Esta não é a medida mais adequada. A medida é a seguinte: se ele está sob suspeita, então é melhor afastá-lo até que as coisas sejam apuradas", disse o presidente. Lula defendeu a apuração de todas as denúncias para evitar que as discussões girem em torno desses fatos, como vem ocorrendo há mais de um mês.

"Tem uma, duas, várias denúncias. Mas tem uma fase de apuração. Então, apure-se e tome-se as medidas. O que não pode é em um país que tem coisas importantes para fazer, a gente ficar um mês inteiro tratando de coisas menores", disse. Advertido sobre a gravidade das denúncias, Lula afirmou que o Tribunal de Contas da União (TCU) deve investigá-las. Disse ainda que desconhece a existência de contas secretas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG