O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu hoje que o governo que o suceder seja uma continuação do seu, em uma referência velada à eventual candidatura de sua ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. O grande problema do Brasil é que um presidente, um governador, um prefeito começava uma obra e depois vinha outro e parava, afirmou Lula após participar de inauguração de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no Complexo de Manguinhos, na zona norte do Rio, ao lado de Dilma.

Segundo ele, de 1980 a 2000 não foram feitas grandes obras no País, o que teria sido revertido em seu governo. "Começamos um processo de parcerias com os governos estaduais e municipais", disse o presidente, afirmando que, como resultado dessas parcerias, no Brasil há uma grande quantidade de obras em andamento, de pequeno ou grande porte. "Se elas pararem será um retrocesso para o Brasil", disse.

Lula comentava uma afirmação da própria Dilma, feita durante discurso na festa de entrega de chaves de apartamentos e laptops a moradores da região. Ela também defendeu a continuidade. "Vamos ter a continuidade do governo do presidente Lula", disse ela, acrescentando que "temos certeza que não vamos deixar o Brasil voltar atrás".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.