Lula convoca reunião de emergência com PMDB

Preocupado com a rebelião do PMDB, que começou a votar contra o governo no Congresso e a pedir mais cargos para apoiar a candidatura da chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, ao Palácio do Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva convocou ontem à noite uma reunião de emergência com dirigentes e líderes do partido. Embora antes do encontro Lula tenha mostrado contrariedade com pressões de grupos do PMDB que exigem revisão das demissões na Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), diante dos peemedebistas ele apenas tentou apenas conter o mal-estar e prometeu manter o canal de diálogo aberto.

Agência Estado |

Lula chamou para a conversa o presidente da Câmara, Michel Temer (SP), que também comanda o PMDB, o líder do partido na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), e o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR). O ministro da Defesa, Nelson Jobim, passou rapidamente no gabinete de Lula no início da reunião e ouviu reclamações de Jucá, que teve o irmão, Oscar Jucá, e a cunhada Taciana Canavarro cortados da Infraero sem maiores explicações.

Você está querendo fazer uma reforma corporativa na empresa, só deixando nos cargos o pessoal de carreira, reclamou Jucá. Diante de Lula, Jobim argumentou que a Infraero será profissionalizada. Não foi só: disse que funcionários sem qualificação técnica serão dispensados e o corte atingirá indicados de todos os partidos, inclusive do PT. O ministro, que é do PMDB, chegou a mostrar a Lula uma lista de afilhados políticos sujeitos a demissão. Ao lado de cada nome constava quem o indicou. Monica Azambuja, ex-mulher do líder do PMDB, está nessa lista.

Lula pôs panos quentes na crise anunciada para não irritar ainda mais o partido. Isso a gente conversa na segunda-feira, Jobim, disse ele ao ministro, que deixou o gabinete em seguida. Vamos encontrar um jeito. Antes do encontro, um deputado do PMDB disse ao jornal "O Estado de São Paulo" que o governo deveria pensar bem antes de demitir os indicados pelo partido. Eu acho que o governo deveria mandar a Infraero votar aqui no plenário, ironizou.

(Com informações do jornal "O Estado de São Paulo")

Leia mais sobre: PMDB

    Leia tudo sobre: pmdb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG