BRASÍLIA (Reuters) - A Argentina pode e deve participar da construção da infra-estrutura necessária para explorar os recursos da camada pré-sal no Brasil, disse na segunda-feira o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O convite ao país vizinho foi feito por Lula durante almoço com a presidente argentina Cristina Kirchner, com quem assinou acordos de integração.

Lula destacou a 'aliança estratégica' entre Brasil e Argentina e disse que era necessário 'aproveitar este momento muito especial' na relação entre os dois países.

'Por meio de consórcios produtivos vamos unir nossas forças e conhecimentos para viabilizar o extraordinário potencial de setores como a indústria naval, que passa por acelerada ampliação e modernização', afirmou Lula.

A Petrobras anunciou em novembro a descoberta de uma reserva estimada entre 5 bilhões a 8 bilhões de barris de petróleo leve, no campo de Tupi, na Bacia de Santos. Essa e outras descobertas levaram os geólogos a calcular a existência de mais de 70 bilhões de barris na camada pré-sal, que se estende por uma faixa marítima de 800 quilômetros, do Espírito Santo a Santa Catarina.

Lula disse também que Argentina e Brasil vão acelerar o programa de construção da hidrelétrica binacional Garabi, sobre o rio Uruguai, e intensificar a cooperação nuclear 'para garantir nossa segurança energética'.

O presidente mencionou, entre outras iniciativas, o desenho de um satélite conjunto, projetos para o uso pacífico da energia nuclear e o avanço de conversações para a criação de uma empresa binacional de enriquecimento de urânio.

Lula disse que não se deveria temer as divergências entre os dois países, sócios maiores do Mercosul, integrado também por Uruguai e Paraguai, pois 'sempre serão menores do que temos em comum.'

O presidente insistiu no fortalecimento do Mercosul e destacou a importância do ingresso pleno da Venezuela ao bloco, assim como a retomada das negociações para sua vinculação com outros, como a União Européia.

'O fortalecimento do Mercosul torna mais sólida a integração sul-americana e consolida nosso patrimônio latino-americano', reforçou.

(Reportagem de Julio Villaverde)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.