FORTALEZA (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou nesta quarta-feira que vai sancionar a ampliação da licença-maternidade para seis meses. Segundo Lula, a mudança não afetará um grande número de empresas e portanto não prejudicará a economia brasileira.

'A lei está lá e vou sancionar ela. Não sei quem foi que disse que eu ia vetar. Eu estou achando muito engraçado a capacidade de adivinhação das coisas que eu não digo', disse Lula a jornalistas após lançar o primeiro terminal de gás natural liquefeito do país no porto de Pecém.

Lula afirmou que a mudança vai afetar por volta de 200 grandes empresas. Além disso, os recursos serão repartidos com municípios e Estados.

'Penso que a gente investir para cuidar das mulheres pós-parto vai ficar mais barato do que das crianças, que por falta do cuidado da mãe, ficam doentes no hospital.'

(Reportagem de Denise Luna)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.