Lula cobra fim de hostilidade entre Renan e Mercadante

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva está irritado com a tensão existente no Senado entre dois aliados de peso do governo. Em uma série de conversas, Lula cobrou o fim das hostilidades entre os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Aloizio Mercadante (PT-SP).

Agência Estado |

A rivalidade ficou mais explícita com a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, há duas semanas, quando eles divergiram sobre o comando das investigações.

No início da tarde de ontem, o ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, admitiu que a briga entre os dois parlamentares é um problema a mais para o governo. Segundo ele, o momento deve ser de esforço nas negociações de uma CPI importante, que pode afetar investimentos da estatal do petróleo.

Existem questões pessoais e precisamos respeitá-las, mas os dois têm grandeza e entendimento de que são líderes importantíssimos e que nunca foi tão necessário estarem juntos, afirmou Múcio. Evidentemente que, quando dois companheiros divergem sobre determinado assunto, você tem um pouco mais de trabalho para procurar aproximá-los. Mas o Brasil merece.

Lula avalia que é difícil acabar com a briga por se tratar de uma disputa pessoal, como ressaltou o ministro das Relações Institucionais. O presidente confidenciou a assessores que os dois senadores são homens vaidosos, arrogantes e passionais. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: Lula

    Leia tudo sobre: lula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG