Lula cobra abertura para alianças do PT paulista

BRASÍLIA/SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva cobrou nesta terça-feira responsabilidade do PT paulista na sucessão estadual e necessidade de construir alianças. Ele negou, no entanto, que vá se reunir na quarta-feira com as principais lideranças da sigla em São Paulo para debater a candidatura do partido no Estado. Um assessor do partido havia confirmado o encontro, que mais tarde foi desmentido pelo presidente do diretório do PT, o ex-prefeito de Araraquara Edinho Silva.

Reuters |

"Este encontro não existe, nunca existiu. O que existe é a vontade de falar com ele (Lula), mas não existe uma agenda", disse o dirigente nesta terça-feira.

Questionado sobre a reunião, Lula afirmou que não é membro da direção do PT e que não tem como se reunir para discutir programas estaduais. Em seguida, mandou recados à sigla.

"As pessoas sabem o que eu penso e portanto eu acho que o PT tem que ter uma ação de responsabilidade, saber qual é a força que nós temos em cada Estado, qual é a perspectiva que nós temos de fazer ou não aliança política", afirmou Lula a jornalistas.

Para um partido que hesita em deixar a cabeça de chapa para um aliado, Lula reiterou: "O PT já aprendeu, já tem 29 anos de história. O PT sabe que tem que fazer política de aliança para poder ganhar as eleições".

Dentro da legenda, é sabido que a definição da candidatura depende da indicação de Lula.

(Reportagem de Carmen Munari e Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG