Lula cancela ida à posse de Piñera no Chile

Com uma atitude que surpreendeu o Itamaraty, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva cancelou hoje sua presença na posse do novo presidente do Chile, o empresário Sebastián Piñera, no próximo dia 11. Confirmada pela Presidência, a notícia veio acompanhada por uma série de justificativas, com o objetivo de afastar conclusões de que o cancelamento se deveria às diferenças ideológicas do governo Lula com Piñera, que será o primeiro governante de centro-direita desde o fim do regime militar chileno.

Agência Estado |

O governo brasileiro havia confirmado três vezes a presença de Lula na cerimônia. Primeiro, quando o convite foi endereçado.

Na segunda-feira, pelo próprio Lula, durante visita surpresa à presidente chilena, Michele Bachelet, no aeroporto de Santiago, para prestar solidariedade e prometer ajuda para a reconstrução das áreas destruídas pelo terremoto do último dia 27.

A terceira confirmação foi encaminhada por Brasília na quarta-feira passada, depois de a chancelaria chilena ter encaminhado uma nota diplomática na qual pedia uma reiteração da presença de Lula.

Notas semelhantes foram enviadas a todos os chefes de Estado que, anteriormente ao terremoto, haviam prometido assistir à cerimônia.
De acordo com o jornal chileno El Mercurio, 11 presidentes confirmaram a presença, entre os quais Lula.

Se não repetirem a atitude do presidente brasileiro, seus colegas da Argentina, do Paraguai, do Uruguai, do Colômbia, do Equador, do Panamá, da Costa Rica e da República Dominicana devem acompanhar a cerimônia de posse. Há possibilidade de o peruano Alan Garcia se somar ao grupo.

Ciosa da indelicadeza de tal gesto, a Presidência enumerou argumentos para a imprensa. Inicialmente, foi explicado que não havia previsão desse compromisso. Depois, um assessor corrigiu a informação: estava prevista, mas não confirmada.

Por fim, para evitar deduções sobre as diferenças políticas entre os governos, o mesmo colaborador informou que o presidente havia conversado com Piñera durante a Cúpula da América Latina e do Caribe, em Cancún, no final de fevereiro.

Piñera fora convidado ao evento por Bachelet. A Presidência acrescentou ainda que Lula pretende visitar o Chile mais tarde, quando a situação estiver mais tranquila, para que possa conversar melhor com Piñera.

Em preparação pelos ministérios do Interior (Justiça) e Relações Exteriores, a cerimônia foi simplificada em função do terremoto. Por nota diplomática, o governo chileno pediu para que os chefes de Estado não tragam suas esposas e venham acompanhados por poucos colaboradores.

O jantar de despedida de Bachelet para os chefes de Estado presentes, no dia 10, será convertido em coquetel. Para a manhã seguinte, a cerimônia de posse na sede tradicional do Congresso chileno, em Valparaíso, foi mantida.

Piñera oferecerá depois um almoço aos presidentes no palácio presidencial de Cerro Castillo, em Viña Del Mar. Mas trocará um ato cultural em Santiago, à tarde do dia 11, por uma vistoria, em helicóptero, pela região de Constituición, a mais afetada pelo sismo.

Leia mais sobre Sebastián Piñera .

    Leia tudo sobre: diplomacia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG