A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), pré-candidata do PT ao Planalto, foi avisada no início desta noite pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva que o governador mineiro, Aécio Neves (PSDB), havia desistido de disputar a Presidência em 2010. Eles estão na capital dinamarquesa, onde participam da COP-15, a Conferência do Clima.

Em Brasília, no Palácio do Planalto e entre os líderes petistas, a renúncia foi tratada como "um fato previsível."

"Era uma novidade esperada", resumiu o líder do PT no Senado, Aloízio Mercadante (SP). "Todo mundo já sabia que o candidato (do PSDB) será José Serra. Não muda nada. Isso aí é uma crônica anunciada", disse o líder do PT na Câmara, Cândido Vaccarezza (SP).

Em Copenhague, a notícia da renúncia de Aécio chegou ao hotel D'Angleterre, onde está hospedada a delegação presidencial, ao final de uma reunião de Lula com a chanceler alemão, Angela Merkel. "O presidente soube da notícia e me contou", disse a ministra Dilma ao deixar o hotel para um jantar, por volta das 20h30 (horário local), acompanhada do assessor especial da Presidência, Marco Aurélio Garcia, e o negociador da COP-15, o embaixador Luiz Alberto Figueiredo.

Questionada sobre o que havia achado da decisão de Aécio Neves, Dilma acrescentou: "O presidente não fez nenhum comentário, e eu também não vou fazer porque não li a carta da renúncia".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.