Lula avisa adversários que não pretende parar de viajar

Na primeira viagem de trabalho depois da crise de hipertensão que teve na semana passada, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva enfrentou um calor de 40 graus em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, mas manteve o bom humor e avisou aos adversários que não vai parar de viajar. Quem esperava que eu fosse ficar em Brasília pode tirar o cavalo da chuva.

Agência Estado |

Vamos inaugurar tantas obras que tem gente que vai ficar doida. Pena que a Dilma não vai poder ir comigo, mas nós vamos, porque este País não pode mais parar", afirmou Lula em discurso durante a inauguração de um gasoduto da Petrobras.

Depois de ouvir vários discursos, sempre secando o suor com um lenço, Lula, sorridente, reclamou o calor, agravado por holofotes que iluminavam o palco durante a solenidade de inauguração do gasoduto. "Vocês não estão sentindo o que é o calor desses faroletes. Eu devia estar aqui parecendo um presidente, mas pareço um pintinho que caiu na poça", brincou.

Hipertensão

O próprio presidente tomou a iniciativa de lembrar o problema de saúde e disse se "orgulhar" da pressão medida diariamente, de 11 por 7. Brincando, atribuiu o mal estar às aflições de corintiano. "Tive problema de pressão esses dias. Esse negócio de ser corintiano é uma desgraça porque vi comprar tanto jogador, vi três jogos e não vi o Corinthians deslanchar ainda. Vocês viram domingo? O Corinthians marcou um gol aos seis minutos, e o Palmeiras passou os outros 84 minutos jogando a bola dentro da nossa área. Rapaz, vi a hora que o coração ia sair pelo pé", disse aos trabalhadores.

Lula reconheceu que estava com a agenda muito carregada nas últimas semanas. "Se tem uma coisa que me orgulho é da minha pressão, porque meço todo santo dia, e minha pressão, regularmente, é 11 por 7. Quando ela está mal, está 12 por 7", contou. Ele levou a plateia às gargalhadas em vários momentos, em especial quando reclamou da falta de ventilador e de água no salão montado pela Petrobras. "A Petrobras está tão mão de vaca que eu vou denunciar você, Gabrielli, para o Tribunal de Contas da União", disse ao presidente da empresa, José Sérgio Gabrielli.

A dez meses do fim do governo, Lula afirmou ter a "sensação do dever cumprido". Em referência indireta à falta de experiência política de Dilma, apontada pelos adversários, o presidente lembrou que em 1982 foi candidato ao governo de São Paulo e era cobrado pelo mesmo motivo. Depois, agradeceu a Deus por não ter vencido a eleição presidencial de 1989, porque na ocasião, afirmou o presidente, o PT "não tinha acúmulo de experiência, de gente preparada para governar".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG