Lula apela no G20 por mudanças nas finanças globais

Por Louise Egan e Renato Andrade SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um apelo no sábado por uma revisão do sistema financeiro global que ruiu como um castelo de cartas na crise de crédito, e defendeu que os países emergentes precisam ter mais voz nas decisões-chave.

Reuters |

Na abertura da reunião de ministros de Finanças e presidentes de bancos centrais do G20, Lula criticou a "fé dogmática na não intervenção" nos mercados adotada por Estados Unidos e outros países.

"É amplamente reconhecido que o G7 sozinho não vai conseguir resolver os problemsa do mundo", disse Lula.

"Precisamos de uma nova governança mais participativa. O Brasil está pronto para assumir suas responsabilidades... É hora de um pacto entre os governos para construir uma nova arquitetura financeira mundial."

Autoridades do G20 estão reunidos em São Paulo para definir maneiras de lidar com a crise financeira global e preparar a cúpula do próximo final de semana em Washington, que contará com chefes de Estado do grupo que inclui os 19 países mais industrializados do mundo e a União Européia.

Lula reforçou posição já apresentada pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, na véspera, de que "os países devem evitar a tentação de usar protecionismo" para enfrentar a crise.

Os acontecimentos de 1929 devem servir de lição, segundo o presidente. "Medidas unilaterais só prolongaram o problema e aumentarm a desconfiança", lembrou.

Para ele, este é o momento ideal para se finalizar as negociações da Rodada de Doha.

"A conclusão da Rodada de Doha deixou de ser uma oportunidade e passou a ser uma necessidade."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG